segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Bicho ferido



Abri os olhos
Agora eu vejo
Com os morcegos
Na noite escura
Um grupo de hienas
Bebendo cerveja
Farejo encrenca
E cresço as unhas

Você pensa que não sou desse mundo?
Porém ando sobre ele...

Sei que não existem anjos
Eu não me engano mais
Bicho ruim é ser humano
Ama com o pé atrás

Você acha que sou covarde?
Mas os selvagens também se escondem...

Na sua casa não bebo água
Só provei do teu veneno
Eu enlouqueço
Eu não disfarço
Sempre soube a hora
Pra pular fora
De tantos barcos!

Não feche a porta
Não crie um monstro
Bicho ferido precisa espaço.




Um comentário:

Poly disse...

hahaha que otimo isso...

faz tempao que nao entrava no seu blog, bom, faz tempo que nao escrevia... te devo uma carta, te devo uma conversa e te devo uma confessao..

Beijao, a gente se encontra logo por ai...